Avivamento na palma da mão!

5 dez

avivamento

Avivamento é a palavra do momento!Estranho como cristãos se acostumaram a buscar avivamento sempre do lado de fora. Busca-se avivamento em uma nova visão, ou em um pregador ou líder ousado e inovador. Procura-se em tantas coisas, e em tantos atos e lugares.

 

O problema de quem vive essa busca é que se acredita que sempre o avivamento tem de vir por algo ou alguém, sempre tem que vir de fora. Deve ser trazido, oferecido e servido á pessoas ávidas por recebê-lo como produto.

 

Por isso somos vitimas de invenções doentias importadas ou cultivadas entre nós aos milhares, com seus livros, seus produtos, e suas doutrinas. Por isso o evangelho puro, simples e vivo de Cristo já não nos basta. Por isso Jesus fica nos bastidores de nossas pregações. Por isso aprendemos que “visões” são tudo, e quem não as tem ou não as segue nada tem. Por isso vivemos milhares de “avivamentos” de ultima hora, com prazos de validade, pois perdem o brilho, perdem a novidade, e logo são encobertos pela falsa beleza e promessas de dádivas sedutoras de um novo segredo revelado, que arrasta multidões de um canto á outro.

 

Mas não é nada disso! E é uma pena que pessoas ainda corram para estas direções. Algumas perderam as contas de tantas coisas e caminhos que seguiram, ao mesmo tempo que pagam pra trilhar mais um.

Mas o verdadeiro avivamento parte de dentro, ele é individual, é um testificar no interior do homem, as coisas que são do Espirito Santo e provocar no individuo conversão. É a declaração de Pedro a caminho de Cesaréia de Filipe, sem medo do que pensariam, e sem medo de errar, nem de ser repreendido pelo próprio mestre como o próprio Pedro foi momentos depois no mesmo caminho.

É a convicção de que nada de fora pode alimentar mais que Aquele que é maior e que esta em nós.

É mais, infinitamente mais profundo e vivo que movimentações de massas, gestos, gritos, atos e coreografias.

É o beber da água da vida e jamais desejar outra coisa que não seja ela. Jamais desejar outra coisa, seja pregação, seja visão, ajuntamentos ou qualquer outro que não tenha Jesus como tudo, Jesus como início, meio e fim.

É querer de graça, o que é  pela Graça, o que é mais valioso que tudo.

É quando a palavra deixa de ser letra, pra ser vida, pra ser viva,e quando Cristo deixa de ser o que morreu na Cruz pra ser de fato nosso Senhor.

Quando rasgamos sem medo, os pesos e bagagens adquiridos em buscas ilusórias, e deixamos todo e qualquer outro caminho, pra segui-lo com nossa cruz , pois no fim do caminho com Ele, a cruz é sempre uma só, a Dele.

No final não há condenação e ninguém que nos condene. Pois nossas cruzes de agonia, de erros, sentimentos de culpas e impossibilidades, aos poucos vão morrendo no caminhar com Jesus, até que morrem de vez na cruz de Cristo.

Não que haverá outra crucificação, nem outro Cristo, o que haverá é o nascer dessa nova consciência dentro de cada um sobre Cristo e o evangelho, que nos chamou para a vida nos dada na cruz, e essa consciência é que é o verdadeiro avivamento.

 

Carlos Alberto Correia

Remanescentes

04/12/2012

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: